17 de Janeiro de 2018,

Cidades

A | A

Sexta-Feira, 12 de Janeiro de 2018, 09h:21 | Atualizado:

LICITAÇÃO ABERTA

Estado prevê asfaltar 3,1 mil km de rodovias em 4 anos; obras custarão R$ 197 mi

Edital está dividido em 9 lotes e contempla todas as regiões do Estado


Da Redação

proestradas.jpg

 

A Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra-MT) lançou o edital de uma concorrência para pavimentação de 3.115,50 quilômetros, além de 471,96 quilômetros de restauração, nas estradas e rodovias de Mato Grosso. Ao todo, a proposta engloba 9 lotes que contemplam todas as regiões mato-grossenses e prevê um investimento de R$ 197.222.195,13 nos próximos quatro anos. A fonte de recursos será o Fundo Estadual de Transporte e Habitação (FETHAB).

Segundo o edital, o objeto da concorrência é a “Contratação de serviços de engenharia rodoviária para elaboração de estudos, projetos básicos e projetos executivos de implantação, pavimentação e restauração de rodovias de obras de arte especiais, inclusive estudos para licenciamento ambiental”. O prazo de vigência do contrato será de 48 meses.

Os investimentos previstos pela Sinfra-MT serão da ordem de R$ 43,6 milhões para 2018, R$ 47,2 milhões em 2019, e R$ 53,1 milhões no ano de 2020 – mesmo valor que será investido pela pasta para o ano de 2021, totalizando  os R$ 197,2 milhões.

Entre as regiões contempladas está um trecho de 8,46 quilômetros da MT-402, que liga Cuiabá ao distrito de Coxipó do Ouro, uma faixa de 24,24 quilômetros da MT-010, descrita no edital como um anel viário de Cuiabá até o entroncamento com a MT-401, outros 43,78 quilômetros no Distrito de Bom Jardim, na MT-241, que beneficiará as cidades de Nobres, Chapada dos Guimarães e Rosário Oeste, além da restauração de 75,11 quilômetros de estradas entre os municípios de Santo Antônio do Leverger e Barão de Melgaço, na MT-040.

Porém, outras regiões também deverão receber as obras, como MT-339, em Tangará da Serra, Barra do Bugres e Nova Olímpia, onde serão construídos 105 quilômetros de estradas, mais 183 quilômetros na MT-242 na região de Juara, Brasnorte e Nova Maringá, 76 quilômetros na MT-206 entre Alta Floresta e Paranaíta, 188 quilômetros na MT-322 na região de São Félix do Araguaia e São José do Xingu, 75 quilômetros em diversas rodovias que compõe a região  de Rondonópolis, e outras cidades.

Além da construção e manutenção das estradas, o edital prevê ainda a implantação de 548 “obras de arte especiais” nas rodovias estaduais. As empresas que desejarem concorrer em mais de um lote terão essa possibilidade, e também poderão realizar a subcontratação de até 30% do serviço.

A concorrência nº 09/2017, que disciplina as regras para as organizações participarem do negócio entre a iniciativa pública e privada, afirma que o certame deverá ocorrer no dia 16 de fevereiro de 2018, na Superintendência de Aquisições e Licitações da Sinfra no Centro Político Administrativo, em Cuiabá, as 14h30 (horário local).

Mais informações em http://aquisicoes.gestao.mt.gov.br/ 

 

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Antonio Edson | Segunda-Feira, 15 de Janeiro de 2018, 22h39
    0
    0

    Concordo com os 2 comentários a respeito do que realmente é o objeto desta licitação : Projeto para Pavimentação Asfáltica. Também é preciso saber que uma das maiores necessidades além do pavimento asfáltico, é a respeito de obras de arte devido ao grande número de rios no Estado. Lembro que há anos atrás houve o Pró Estrada e outros, que também foi feito licitação para projetos. Os projetos não foram contratados? Não foram entregues? Não serão utilizados? Existem municípios aguardando a pavimentação das ruas que já foram projetadas anteriormente e divulgado que a obra sairia do papel.

  • Sabe nem ler | Sexta-Feira, 12 de Janeiro de 2018, 10h33
    6
    1

    Triste quando um jornalista não consegue ler e interpretar corretamente o que esta escrito. Não é edital de obra. É para elaboração de projeto. 3.100 km de rodovias a R$ 197 mi são R$ 63 mil o km. O km de asfalto custa em torno de R$ 1 milhão de reais para ser construído. É triste, mas o nome disso é analfabetismo funcional.

  • Luiz Carlos | Sexta-Feira, 12 de Janeiro de 2018, 09h54
    5
    1

    SERÁ CONSTRUIDA NO PROXIMO GOVERNO? PORQUÊ ESTE ATUAL JÁ FOI PRO PREJO, MENTE PRÁ CARAMBA KKKKKKKKKKKK

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS