23 de Fevereiro de 2017,

Economia

A | A

Quarta-Feira, 11 de Janeiro de 2017, 09h:09 | Atualizado:

MULTINACIONAL

MT atrai US$ 450 milhões em investimentos

taques-multinacional.jpg

 

Políticas Públicas do Governo do Estado atraíram mais uma multinacional para Mato Grosso com investimento de US$ 450 milhões e criação de mil e setecentos empregos. A indústria, fruto de uma parceria da Fiagril e a Summit, de Iowa (EUA), entra em operações entre julho e agosto deste ano, em Lucas do Rio Verde, com capacidade para produzir 240 milhões de litros de etanol de milho por ano.

O projeto foi apresentado nesta terça (10) ao governador Pedro Taques, no Palácio Paiaguás, pelo presidente da Fiagril Participações, Marino Franz, pelo CEO da Summit (EUA), Bruce Rastetter, pelo diretor geral da Summit no Brasil Rafael Abud e pelo gerente de Investimentos da multinacional, Justin Kirchhoff. Também participou do encontro o secretário de Desenvolvimento Econômico, Ricardo Tomczyk.

A expectativa é construir mais duas indústrias no Estado, uma no Nortão e outra no Sul, com mais mil empregos diretos. “É um projeto que nos anima bastante pela rapidez com que está sendo implantada e pela geração de emprego e renda. É o aquecimento da economia como um todo”, frisa Tomczyk.

Além do Estado ser o maior produtor de milho do país, o que naturalmente foi uns dos principais atrativos para a multinacional se instalar em Mato Grosso, o secretário enfatiza o trabalho do Governo do Estado em criar condições para as empresas aproveitarem da melhor forma possível o potencial da região. “O grande atrativo para o nosso investimento em Mato Grosso foi justamente a condição que o Estado oferece, a condição do agronegócio, as pessoas, o ambiente de negócio”, endossa, o CEO da Summit.  

Presidente do Conselho de Regentes de Iowa, entidade responsável pelas universidades do estado, o empresário discutiu com Taques a possibilidade de formatar um projeto de intercâmbio cultural e tecnológico entre os dois estados. “Mato Grosso é grande, focado no agronegócio, parecido com Iowa. Temos muita afinidade numa pauta de intercâmbio cultural de tecnologia na questão de grãos, de estudos, para podermos trocar conhecimento. Vamos conversar com a equipe do governo para ver a melhor forma de configurar isso”.

 

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • Cuiabana | Quarta-Feira, 11 de Janeiro de 2017, 16h07
    0
    1

    Mais isso é coisa antiga, não é fruto desse governo, e sim do anterior, esse simplesmente irá cortar as fitas de inauguração e fazer marketing uns 6 meses kkkk. Falando em investimentos, e as milionárias viagens do governador e sua comitiva a DUBAI, cadê os resultados?

  • Euclides | Quarta-Feira, 11 de Janeiro de 2017, 12h42
    2
    1

    O que precisamos saber é se com esse projeto a população será beneficiada, afinal são aproximadamente 3,3 milhões de habitantes, creio que com isso devemos pelo menos ter uma redução considerável no preço do etanol, acredito que uma distribuidora em Mato Grosso, seria uma boa ideia para a população, além de gerar ainda mais empregos diretos, baratearia muito o preço do etanol e estimularia outras usinas e empresas a investir mais no potencial do etanol para nossa região.

  • eder | Quarta-Feira, 11 de Janeiro de 2017, 10h30
    20
    13

    Por isto quando criticamos as vezes temos que pensar no que escrevemos e aqui faço minha meia culpa pois fui um dos criticos da viagem do Governador e alguns assessores aos ESTADOS UNIDOS ano passado em um momento de crise em um evento do JOÃO DÓRIA, e agora vem os frutos da viagem e eu tenho que reconhecer que não estava de um todo correto, mais ainda acho que a comitiva era muito grande para o evento e poderia diminuir para contenção de gastos.

  • luiz | Quarta-Feira, 11 de Janeiro de 2017, 09h52
    23
    4

    Parabéns! É disso que MT precisa.

  • tito lampreia | Quarta-Feira, 11 de Janeiro de 2017, 09h15
    15
    13

    Di novo o mesmo empreendimento!!! Sem novidade!

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS