Sábado, 14 de Novembro de 2015, 10h40
NOVOS RUMOS
Em Cuiabá, Bolsonaro avalia deixar PP e critica ideologia ao homossexualismo
Deputado federal não esconde plano de disputar a Presidência da República em 2018

RAFAEL COSTA
Da Redação

bolsonaro-ezequiel.jpg

 

Em Cuiabá para participar do encontro partidário do PP na AMM (Associação Mato Grossense dos Municípios), o deputado federal Jair Bolsonaro (RJ) revelou que pode deixar o partido para concorrer a Presidência da República nas eleições de 2018. Ainda revelou que outras legendas tem lhe oportunizado espaço para viabilizar o projeto de concorrer ao Palácio do Planalto.

O PP é o partido que detém o maior número de parlamentares investigados pelo STF (Supremo Tribunal Federal) pela suspeita de participação no esquema de desvio de dinheiro da Petrobrás, conhecido como Petrolão, que envolve a cifra de bilhões de reais. “Se não mudar a cúpula, e encontrar uma maneira de sair sem perder o mandato, eu saio. É como um casamento, se um homem for um bandido a mulher se separa, o que nesta circunstância é autorizado até pela Bíblia. O PSC e o PHS já sinalizaram que são simpáticos a minha filiação”, disse.

Bolsonaro ainda declarou que, se eventualmente sair candidato à Presidência da República nas eleições de 2018, vai firmar o compromisso de falar a verdade e não de unicamente ganhar a qualquer custo. “Não estou preocupado em ganhar. Não vou trair minha consciência.  Não vou ser o Bolsonaro paz e amor a exemplo de Lula e Dilma. Lula admitiu recentemente admitiu que o PT mentiu para ganhar a eleição de 2014. E agora, veja o resultado desastroso disso na economia e a roubalheira que o PT institucionalizou com a Petrobrás para ter tudo aprovado na Câmara dos Deputados”, disse.

O parlamentar ainda criticou duramente o modelo de educação do Brasil e grupos políticos de esquerda que estariam influenciando o ensino de conteúdo ideológico do que necessariamente o domínio científico. 

“O currículo escolar é um lixo! Não se aprende Matemática, Física, Química e Biologia. É só ideologia e homossexualismo. Isso é a destruição da família”, disse.

Bolsoraro também avaliou que membros de grupo de esquerda adotam práticas diferentes do discurso adotado. “Sociólogo prega uma coisa e faz outra. Sociológo prega comunismo e socialismo e mora na Barra da Tijuca, um dos locais mais nobres do Rio de Janeiro”.  

 


Fonte: FOLHAMAX
Visite o website: http://www.folhamax.com.br/