18 de Outubro de 2017,

Polícia

A | A

Sábado, 15 de Outubro de 2016, 12h:01 | Atualizado:

ESPANCAMENTO

Acusado de ligação com Estado Islâmico é morto na cadeia em VG

Valdir Pereira da Rocha foi preso na Operação Hashtag em Vila Bela da Santíssima Trindade


Gazeta Digital

estadoislamico.jpg

 

Suspeito de ligação com Estado Islâmico, preso em julho deste ano, Valdir Pereira da Rocha foi espancado na tarde de sexta-feira (14), no Cadeia Pública do Capão Grande, em Várzea Grande, para onde havia sido transferido no dia anterior.

De acordo com a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos de Mato Grosso (Sejudh), o detento foi transferido da Penitenciária Federal de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul (MS), na quinta-feira (13), sob pedido da Justiça Federal, para que permanecesse na Cadeia Pública de Várzea Grande, com uso de tornozeleira eletrônica em regime fechado.

Valdir se entregou em julho deste ano, em Vila Bela da Santíssima Trindade (521 km a oeste de Cuiabá), depois de ser procurado pela Polícia Federal, sob suspeita de integrar grupo que supostamente planejava ataque terrorista durante os jogos olímpicos, realizado no Rio de Janeiro. Operação Hashtag, prendeu nas primeiras semanas, 15 pessoas em 9 estados brasileiros que foram encaminhados para o presídio do MS, entre elas, Valdir.

Presidente do Sindicato dos Servidores Penitenciários de Mato Grosso (Sindspen/MT), João Batista, explicou que Valdir foi espancado por vários presos de uma cela, dentro da cadeia, no início da tarde. 

Ele foi socorrido até o Pronto-Socorro Municipal de Várzea Grande (PSMVG), em estado gravíssimo. A Sejudh informou ainda que a agressão está sob investigação.

Operação Hashtag - O Ministério Público Federal (MPF) denunciou 8 pessoas à Justiça Federal por envolvimento com organizações terroristas. Elas foram identificadas antes da realização dos Jogos Rio 2016.

Alisson Luan de Oliveira, Leonid El Kadre de Melo, Oziris Moris Lundi dos Santos Azevedo, Israel Pedra Mesquita, Levi Ribeiro Fernandes de Jesus, Hortêncio Yoshitake, Luís Gustavo de Oliveira e Fernando Pinheiro Cabral foram acusados pelos crimes de promoção de organização terrorista e associação criminosa. Cinco dos denunciados também vão responder por incentivo de crianças e adolescentes à prática criminosa.

Além destes, o MPF solicitou que os suspeitos Daniel Freitas Baltazar, Hortencio Yoshitake, Vitor Barbosa Magalhães e Valdir Pereira da Rocha fossem monitorados com tornozeleiras eletrônicas.

 

Postar um novo comentário

Comentários (14)

  • Sandro Molina | Terça-Feira, 18 de Outubro de 2016, 21h24
    0
    1

    Alguém pode dar uma MEDALHA para quem fez isso com o Barbudo de Alá?! Agora é só chamar o caminhão de lixo e jogar o corpo no aterro sanitário!!! Alá, vai cagar!!!

  • Hélio | Domingo, 16 de Outubro de 2016, 20h47
    2
    0

    Só o mp pra acreditar nessa pirotecnia que a PF fez,

  • Angelina | Sábado, 15 de Outubro de 2016, 20h52
    5
    4

    Terrorista são os vagabundos que tira a vidas de pais de famílias e depois recebe tapinha nas Costa da justiça. Tenho certeza que este que morreu nem passagem pela polícia tinha.Quem sabe com essa morte desperte o Estado eslamico e nos faz uma visita.

  • ALMIR | Sábado, 15 de Outubro de 2016, 19h36
    8
    1

    QUE TERRORISTA NADA. É COMO EU PRENDER UM LADRÃO DE PICOLÉ E FALAR QUE É MEMBRO DO PCC.

  • Alana | Sábado, 15 de Outubro de 2016, 19h35
    7
    4

    Ladrões, assaltantes, traficantes, assassassinos etc, quem são eles para julgarem alguém e fazer justiça? As pessoas se engananam quando dizem por aí que dentro da cadeia tem leis e que certos crimes não são perdidos. Dentro da cadeia as vezes tem inocente preso, mas a maioria é a escória da sociedade, o lixo do lixo, muitas das vezes piores do que aqueles que julgam e matam. É somente os brasileiros mais idiotas para levar tão a sério esse circo dessa hastag, e evidentemente que bandido é burro mesmo, senão não praticavam crimes violentos que os levam reiteradamente para a cadeia até o cemitério. Chupa essa Capão Grande!

  • Maria | Sábado, 15 de Outubro de 2016, 19h26
    6
    2

    Voltamos a DITADURA . A PF prende e arrebenta ,como nos tempos do General Figueiredo. E pior ,agora temos um Ministro advogado do PCC.

  • fernando | Sábado, 15 de Outubro de 2016, 17h50
    17
    4

    MAIS UM ERRO DA JUSTICA,TERRORISTA EM VILA BELA DA SANTISSINA TRINDADE,ESTA MORTE VAI PARA A CONTA DO MINISTRO DA JUSTICA,QUERENDO APARECER PARA O MUNDO MANDOU PRENDER UNS ZE MANE DA VIDA, CADE O MATERIAL EXPLOSIVO DOS MESMOS ATE HOJE NAO FOI APRESENTADO PARA A SOCIEDADE.

  • Alana | Sábado, 15 de Outubro de 2016, 17h40
    12
    5

    O circo do careca do Ministério da Justiça e sua Polícia Federal fizeram sua primeira vítima fatal. Esses caras são meramente suspeitos, diria no máximo ponteciais terroristas, não devemos agir como se o Brasil fosse um quintal dos EUA. Se esses caras tivessem sido presos na Inglaterra diante do que se tem contra eles estariam respondendo em liberdade, , terrorista ou não tanto a União quanto MT devem agora uma indenização para a família. Pena que ainda não sou advogada.

  • Da silva | Sábado, 15 de Outubro de 2016, 17h17
    12
    5

    Essa é a justiça do Brasil. Prende primeiro para depois investigar. E se ele fosse inocente como afirmava? A seriedade deveria ser a regra e não a pena de morte.

  • Paulo de Almeida | Sábado, 15 de Outubro de 2016, 16h57
    13
    2

    Isso e o sistema de seguranca que o tal pedro taques diz que esta 50% resolvido. Um cara que nao tinha nada a ver com terrorista fizeram uma brincadeira e se deram mal, infelizmente morreu pela simples ignorancia da tal justica do brasil Nao sou defensor do cara nem a favor do terrorismo. O dia que vier terorista no brasil eles vao ver como funciona.

  • Celso | Sábado, 15 de Outubro de 2016, 15h22
    14
    2

    Que absurdo...Não só aqueles que mataram devem responder criminalmente. O Estado, através de seus agentes, tem obrigação de preservar a integridade física de todos aqueles que estão custodiados nas cadeias públicas do Estado.

  • Ricardo Batista Alexandre | Sábado, 15 de Outubro de 2016, 13h43
    2
    1

    Essa foto aí não é o valdir e sim o leonid

  • Leal | Sábado, 15 de Outubro de 2016, 13h32
    14
    0

    Aí a lei de cão...um "zé ruela" desses,suposto "aprendiz de terrorista" é linchado na cadeia...Os grandes assaltantes,assassinos de mulheres ,estupradores,esses passam tranquilos pelos presídios...

  • Márcio | Sábado, 15 de Outubro de 2016, 13h17
    13
    3

    Estragaram com a vida do cara, tudo isso por causa da mídia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS