23 de Agosto de 2017,

Política

A | A

Quinta-Feira, 20 de Abril de 2017, 17h:20 | Atualizado:

CPI DAS OBRAS DA COPA

AL vota relatório sem alterações e orienta Governo a "abrir o olho" com Consórcio VLT

Segundo Eduardo Botelho, Governo terá missão de convencer MPE e MPF sobre retomada das obras


Da Redação

botelho-deputados.jpg

 

O presidente da Assembleia Legislativa do Estado, deputado Eduardo Botelho (PSB), garantiu que o relatório da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre as obras da Copa do Mundo de 2014 não sofreu alterações. Ele ainda contou que o documento foi encaminhado ao Ministério Público Federal (MPF) e ao Estadual (MPE), para que passe por análise.

A previsão é de que o relatório da CPI, que foi concluído no fim do ano passado, seja votado na próxima terça-feira (25). O imbróglio em relação ao item ocorre porque o Governo do Estado firmou acordo com o Consórcio VLT para retomar as obras do modal no próximo mês. O contrato para a conclusão do veículo, em um prazo de 24 meses, foi fechado em R$ 922 milhões.

O relatório da CPI apontou diversas fraudes que teriam sido praticadas pelo consórcio no início da obra, antes de ela ser paralisada em dezembro de 2014. Entre elas, há apontamento de superfaturamento, entre outras falhas. Em razão disso, o Legislativo Estadual orientou o governo a não retomar o contrato com o Consórcio VLT, pois a medida pode trazer ainda mais prejuízos aos cofres públicos.

Diversos parlamentares já demonstraram que devem votar contra a aprovação do relatório. Caso o item seja reprovado pelos deputados, o Executivo Estadual poderá enfrentar dificuldades para viabilizar a retomada da obra, pois não terá o apoio do Legislativo.

O deputado Eduardo Botelho comentou que não será realizado nenhum tipo de alteração no relatório. “O relatório já poderia ter sido votado ontem, mas não colocamos em votação porque alguns deputados reclamaram que a CCJ entregou o documento muito tarde e não foi disponibilizado para os parlamentares, então decidi passar para terça-feira, para dar tempo para os deputados olharem. Mas não vai haver alteração nenhuma. Vai ser votado do jeito que a comissão propôs”, contou, na manhã desta quinta-feira (20), em entrevista à rádio Capital FM.

Ele acredita que os parlamentares que ainda possuem dúvidas sobre os levantamentos da CPI poderão se inteirar sobre o assunto até terça-feira. "O relatório está detalhado, com todos cadernos, anexos e tudo mais”.

O presidente da Casa de Leis comentou sobre as discussões que ocorreram durante a elaboração do relatório. "Ocorreu discussão na forma de apresentar o relatório, mas discussões são normais, tem que ter, para a finalização dos trabalhos".

Além dos parlamentares, Botelho também determinou que o relatório fosse enviado ao MPF e ao MPE. “Na quarta-feira, determinei que fosse enviada uma cópia, antecipada do relatório para o MPF, uma vez que já havia um ofício de uma procuradora federal, requisitando todos os dados e os relatórios da CPI, antes mesmo de ser votado. E também, já que está sendo enviado ao Ministério Público Federal, também pedi para enviarem ao Estadual”.

O parlamentar comentou que caberá ao Executivo Estadual convencer o Ministério Público Federal e o Estadual de que a retomada das obras, por meio de novo contrato com o Consórcio VLT, é a melhor alternativa para Mato Grosso. "Isso é um trabalho para o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Cidades, fazer. Isso não cabe mais à Assembleia, porque é a Secid que tem que convencer o Ministério Público Estadual e o Federal de que o que eles estão fazendo está legal e está criando uma economia para o Estado. O Wilson Santos falou na Assembleia que eles economizaram mais de R$ 300 milhões para o Estado. Então, ele tem que demonstrar isso para o Ministério Público”, pontuou.

Botelho contou que fez orientações sobre a retomada das obras ao deputado estadual Wilson Santos (PSDB), que se licenciou do cargo de secretário de Cidades para debater sobre a questão do VLT no Legislativo. "O Consórcio vai continuar, então acho que é importante ter muita atenção, porque é o mesmo consórcio que mentiu para o povo de Mato Grosso e disse que a obra iria ficar pronta. Essa empresa estava sempre ao lado do governador Silval Barbosa, dizendo que as obras estavam prontas. Depois houve colocação de que haveria irregularidades na obra, que foram apontadas pela CPI. Então, tem que ficar de olho aberto com isso. A melhor maneira para fazer as obras, não resta dúvida, é tirar isso da Justiça e tocar a obra. Se ficar judicializado, pode levar muito tempo, de três a dez anos, e encarecer ainda mais a obra. Esse é o entendimento. Mas tem que trabalhar com o pé atrás”, comentou.

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • Dr. Cuca Beludo | Sexta-Feira, 21 de Abril de 2017, 10h47
    0
    0

    Brincadeira, vão pagar outro VLT e não vai ficar pronto. Só rolo! O governo incompetente! Volta Silval!

  • Sabido sabe | Quinta-Feira, 20 de Abril de 2017, 19h27
    3
    0

    Nossa, que grande conclusão. Piada essa CPI.

  • Botelhudo | Quinta-Feira, 20 de Abril de 2017, 18h12
    3
    0

    VÃO TER O MESMO COMPORTAMENTO COM A CPI DAS CARTAS DO MPE????????????????

  • Carlos Nunes | Quinta-Feira, 20 de Abril de 2017, 17h57
    5
    1

    Tomara que essa CPI investigativa, que segundo os entendidos foi muito bem feita, não termine em PIZZA com sobremesa de MARMELADA. Esse negócio de fazer CPI, e no final mudar Relatório, porque determinado Grupo Político não gostou do Relatório, tem que acabar. Senão, é bom acabar com isso de CPI, e quando houver alguma denúncia, contratar um bom detetive, daquele tipo cão perdigueiro fuçador, dar carta branca, e mandar ele fuçar, fuçar, até descobrir tudo. Esse Relatório, assim que for votado, tem que ser encaminhado ao MP para investigar. Agora seria importante, pra animar a novela do VLT, que o Riva, o Silval, fizesse uma delação premiada e dissessem: O que aconteceu nos bastidores do VLT, que a Justiça deveria saber e não sabe? O Fantástico, na matéria Cadê o Dinheiro que estava Aqui, mostrou pro mundo todo, o Éder Moraes dizendo que levaria de propina R$ 5 Milhões pelo VLT. É bom saber Quem levaria mais. Verbo Levar é um perigo: levaria, levou, levamos, levaremos, levarão...Ih! Dá medo até de conjugar o verbo.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS