24 de Setembro de 2017,

Política

A | A

Quarta-Feira, 13 de Setembro de 2017, 20h:02 | Atualizado:

GRAMPOLÂNDIA PANTANEIRA

Além de PMs, juízes e membros do MPE são alvos de 6 investigações sobre grampos em MT

Informação é do desembargador Orlando Perri e foi dita no trâmite do HC de Paulo Taques

orlandoperri.jpg

 

Seis inquéritos sobre as interceptações telefônicas ilegais contra cidadãos comuns, que não eram suspeitos de crimes, tramitam no Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJ-MT). Juízes, membros do Ministério Público Estadual (MP-MT), civis e militares estão entre os suspeitos. 

A informação é do desembargador Orlando Perri e foi passada ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) durante o trâmite processual do habeas corpus do ex-secretário da Casa Civil, Paulo Taques, que é suspeito de mandar grampear uma amante.

Perri afirmou que os inquéritos apuram “crimes de participação de magistrado nas quebras telefônicas”, “participação de membros do Ministério Público Estadual”, “crimes militares”, “crimes de interceptação telefônica ilegal e denunciação caluniosa”, “escutas clandestinas ocorridas em 2016, nas eleições de Lucas do Rio Verde”, além de “crimes comuns praticados por militares civis”.

Os grampos ilegais da PM tornaram-se públicos após a veiculação de duas reportagens do Fantástico. Jornalistas, médicos, advogados, políticos e até uma ex-amante do ex-secretário da Casa Civil, Paulo Taques, sofreram interceptações telefônicas clandestinas que teriam sido feitas por policiais militares. O caso é conhecido como “barriga de aluguel”, onde pessoas que não são investigadas ou denunciadas sofrem os grampos, por interesses pessoais, ao lado dos verdadeiros suspeitos de processos na Justiça ou investigações das forças de segurança.

O promotor de Justiça Mauro Zaque realizou a denúncia de que uma central clandestina de interceptações telefônicas ilegais, operada pela Polícia Militar, estaria em atividade no Estado de Mato Grosso. Zaque fez acusação em outubro de 2015, quando ocupava o cargo de Secretário de Estado de Segurança Pública. 

No âmbito estadual, ele oficializou duas queixas sobre a existência dos grampos: uma no Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), que arquivou o caso, e outra diretamente na Casa Civil, que “sumiu”.

Dois coronéis da PM, Evandro Lesco e Ronelson Barros, fariam parte de uma central clandestina de inteligência da Polícia Militar que teria sido idealizada pelo ex-Comandante da Corporação em Mato Grosso, o também coronel Zaqueu Barbosa, além do cabo Gerson Correa Junior. De acordo com o desembargador Orlando Perri, relator no TJ-MT da ação que apura o esquema de interceptações ilegais no Estado, o Núcleo de Inteligência (NI) entrou em operação no ano de 2014.

Além dos policiais militares, Paulo Taques teria agido pessoalmente no caso. 

Durante um depoimento à Corregedoria-Geral da Polícia Judiciária Civil (PJC), a delegada Alessandra Saturnino de Souza Cozzolino, ex-Secretaria Adjunta de Inteligência de Segurança Pública (Sesp-MT), afirmou que o próprio Paulo Taques pediu que sua ex-amante fosse grampeada porque desconfiava que ela queria prejudicar o governador, e ele próprio, colocando-os numa situação constrangedora, como “fotografá-los nus com outros homens na cama”. Assim, Tatiane foi alvo de um inquérito na própria PJC mas que foi arquivado por falta de provas.

 

Postar um novo comentário

Comentários (9)

  • Tatianne | Quinta-Feira, 14 de Setembro de 2017, 12h15
    0
    0

    Enquanto continuar passando a mão na cabeca de servidor publico vai acontecer esse tipo de coisa os polícias acham por estarem dentro de uma farda tem direito a inibir o ser humano a induzir a prejudicar da forma como eles querem mais pergunta se vão atrás do ladrão que rouba um pai de família a justiça do mt deu muitas brechas pra chegar ao ponto que chegou o próprio legado judicial apoia os polícias fazerem as coisas contra a lei inclusive ocultar provas em favor agora querem dizer que não sabiam de nada hora povo matogrossense abrem a boca todos seres humanos tem seus direitos e direitos violados é crime e tem que ser punido

  • Tatianne | Quinta-Feira, 14 de Setembro de 2017, 12h14
    0
    0

    Enquanto continuar passando a mão na cabeca de servidor publico vai acontecer esse tipo de coisa os polícias acham por estarem dentro de uma farda tem direito a inibir o ser humano a induzir a prejudicar da forma como eles querem mais pergunta se vão atrás do ladrão que rouba um pai de família a justiça do mt deu muitas brechas pra chegar ao ponto que chegou o próprio legado judicial apoia os polícias fazerem as coisas contra a lei inclusive ocultar provas em favor agora querem dizer que não sabiam de nada hora povo matogrossense abrem a boca todos seres humanos tem seus direitos e direitos violados é crime e tem que ser punido

  • Tulio | Quinta-Feira, 14 de Setembro de 2017, 08h42
    13
    1

    Dr. Perri, por favor não deixe isso impune. Ainda há pontos de escuta clandestina pela cidade é o que corre a boca miúda.. procura que acha.. a lei é para todos. Não importa se é MPE, juiz tem que responder criminalmente se o cometeu. Faça sua parte Dr. Perri. Parabéns! o povo cuiabano agradece

  • Neide | Quinta-Feira, 14 de Setembro de 2017, 08h37
    13
    1

    Que não deixem isso no esquecimento e punam esses crimes de violação dos direitos. Absurdo! Se não parar , não há limites!! Chega de abuso de poder , já! Dr. Perri puna a todos . confiamos na sua perseverança e compromisso com a verdade

  • Jovem curioso | Quinta-Feira, 14 de Setembro de 2017, 07h12
    27
    1

    Então, ali no jardim california , próximo ao Tenis clube tinha uma casa que misteriosamente pouco antes da eleição , alugaram , a movimentação era intensa o dia e noite , todas as poucas vezes que viram alguém na parte de dentro fato que ocorria quando o portão está aberto somente , se via policiais na parte de dentro , gente suspeita , até uma torre alta foi instalada dentro da casa , e de repente , pouco antes de "estourar" o caso dos grampos , em um estalar de dedos , sumiu tudo da casa , suspeito

  • José | Quinta-Feira, 14 de Setembro de 2017, 01h38
    33
    10

    Hora que prenderem a bardusco e a selma por essa palhaçada em favor do Pedro Taques, me acordem!

  • Verdade | Quarta-Feira, 13 de Setembro de 2017, 23h04
    26
    1

    MPE gaeco polícia do governo ode tava e quanto sinval robava agora não encherga que a mesma turma tá com táques nininho savi gillmar quem era presidente da cpi do minesteerio público que em terro a cpi pare q ele é ninho tinha sido com denado quadro passou pro táques foi absolv8do meu pai dizia quem come junto aos porcos com os porcos se lamiam

  • Paulo Cesar | Quarta-Feira, 13 de Setembro de 2017, 22h30
    25
    0

    Tem um rapaz de um jornal de semana que tem a maioria das interceptações e segundo o pessoal , ele guarda em campo grande

  • Seu cuca | Quarta-Feira, 13 de Setembro de 2017, 20h15
    34
    2

    Não alisa não dr. Perri ! Senta o pau nesta quadrilha!! Onde já se viu, o cara receber salario pago pelo povo,e,cometer crimes, tem mesmo que demitir todos,e colocar no olho da rua!!

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS