22 de Novembro de 2017,

Política

A | A

Terça-Feira, 14 de Novembro de 2017, 12h:05 | Atualizado:

SEM CONTRADITÓRIO

Câmara de Cuiabá oficializa CPI; oposição quer "dominar" investigação

Presidente da Câmara anuncia que membros de comissão serão escolhidos na quinta-feira


Da Redação

camara-plenario.jpg

 

Vereadores da base e de oposição em Cuiabá divergem sobre a data de criação e para instauração da CPI que investigará o prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB), flagrado recebendo dinheiro das mãos do ex-chefe de gabinete do ex-governador Silval Barbosa, Sílvio César Correa Araújo. Além disso, os parlamentares da situação exigem suas assinaturas no requerimento de criação da comissão.

Os parlamentares da oposição defendem que a criação da CPI tenha como base da data do protocolo na Câmara, ou seja, o dia 7 de novembro. Com isso, a comissão teria que ser criada dois dias depois, já com definição dos membros, presidente e relator.

A oposição entende que o grupo situacionista pretende preencher os principais cargos da comissão e, assim, “abafar” as investigações contra Emanuel Pinheiro. “Está configurando uma manobra para alcançar a relatoria da CPI e assim atrapalhar a CPI. Há intenção de calar a CPI, intenção de silenciar a CPI”, assinalou o vereador Abílio Junior (PSC).

Para o vereador Dilemário Alencar (PROS), a CPI deve ser composta pelos vereadores que apoiaram sua criação desde o início. Segundo ele, a base só assinou após o requerimento ter sido protocolado na Câmara com as 9 assinaturas necessárias para a criação da CPI. “Entendemos que tem que ser os 9 que primeiro assinaram a CPI que devem compor a comissão”.

O veredor Felipe Wellaton (PV) anunciou que a oposição exige compor os principais cargos da comissão. "Se o relator e presidente não estiver os 9 que garantiram essa CPI, já fica anunciado que vamos buscar a Justiça".

O vereador Toninho de Souza (PSD), que garantiu a 9ª assinatura para a criação da comissão, alegou que aliados do prefeito tem agido para intimidar a comissão. Ele colocou ainda que chegou a ser ameaçado após sua decisão de assinar o requerimento para a investigação. “Fui atacado, inclusive por segurança do prefeito Emanuel Pinheiro. Segurança nomeado pela prefeitura de Cuiabá”.

Porém, o entendimento da procuradoria da Câmara é de que o requerimento só tem validade após a leitura em plenário, o que foi feito nesta terça-feira. O presidente da Câmara, vereador Justino Malheiros (PV), agendou para a próxima quinta-feira a reunião do colégio de líderes que definirá a composição da comissão.  

“O requerimento só tem validade a leitura em plenário. Mas, vou analisar este outro pedido, mas estou validando a leitura do primeiro requerimento”, disse Malheiros.

Os parlamentares da base, que assinaram o requerimento, aponta que a oposição já “condenou” o prefeito com base apenas no vídeo divulgado na imprensa. “Vemos aqui a vontade de alguns membros da oposição de instalar aqui um tribunal de exceção e não vamos permitir isso”, disse o vereador Paulo Araújo (PP).

O vereador Chico 2000 (PR) explicou que decidiu assinar o requerimento após a divulgação de que o prefeito Emanuel Pinheiro teria “editado” um áudio em que o ex-chefe de gabinete Sìlvio Correa supostamente o inocentaria. “Gostaria de justificar minha assinatura na CPI em razão do segundo objeto (áudio de Sílvio). Mas, com apresentação do outro objeto, que eu ainda não tinha conhecimento, é natural minha assinatura”.

 

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • Felipe WELLATON | Quarta-Feira, 15 de Novembro de 2017, 05h48
    0
    0

    Gostaria que corrigissem a minha fala que citaram, eu disse: “relator e membro, composto pelos 9 que assinaram.” Até porque a presidência não pode ser constituída por outra pessoa que não seja Marcelo Bussiki, autor do requerimento. Não deixaremoss que a Câmara seja conduzida por reuniões noturnas! #Wamopracima

  • eurides | Terça-Feira, 14 de Novembro de 2017, 23h02
    0
    0

    Parabéns aos 9 Vereadores homens valorosos, aos demais só nos resta criticar pela falta de ombridade e respeito ao povo cuiabano, e assinaram somente depois de oficializada a CPI e só para atrapalhar , mas o povo esta de olho nesses aproveitadores. É vergonhoso a situação desses aproveitadores da camara municipal, que não assinaram a CPI em tempo hábil , e estão de parábéns os 9 vereadores que tiveram coragem e peito de assinar a CPI, vamos colocar Cuiabá em ordem.

  • Marcos Samaro | Terça-Feira, 14 de Novembro de 2017, 16h39
    0
    0

    Palhaçada desses vereadores. Circo puro. Sem entrar no mérito dos atos do Prefeito enquanto Deputado Estadual, esta CPI é ridícula e grotesca. Então os nobres vereadores vão julgar ato pregresso do atual Prefeito. Malucos, esta CPI não vale nada. Só circo. O prefeito vai ser julgado lá no outro processo e poderá até a vir a ser preso. E, mesmo assim, continua como Prefeito. O que fez lá atrás nada tem a ver com seus atos como Prefeito. Será que os ridículos vereadores não sabem disso. Sabem sim, mas é pura negociata na maior cara de pau. Ora vai, enterrem-se por favor!!!!!!!

  • ALEXANDRE | Terça-Feira, 14 de Novembro de 2017, 14h25
    11
    5

    GENTE ESSE LUIS CLAUDIO É UM PANACA MESMO, TODOS AQUI DO TRIBUNAL REPUDIAM ESSA AÇÃO DELE, PRIMEIRO FICOU CRITICANDO A CPI E FICOU DEFENDENDO O PREFEITO CORRUPTO, AGORA ASSINA A CPI PARA BLINDAR O PREFEITO, SINCERAMENTE, NÃO GANHA NEM PRA PORTEIRO DO TJ

  • Analista Político | Terça-Feira, 14 de Novembro de 2017, 13h58
    4
    6

    Parabéns pelo circo!!!

  • Alagoas | Terça-Feira, 14 de Novembro de 2017, 12h49
    9
    3

    Dos 25 só salva uns 3! Resto tudo atoa e inútil para Cuiaba!

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS