15 de Dezembro de 2017,

Política

A | A

Quarta-Feira, 06 de Dezembro de 2017, 23h:31 | Atualizado:

NA MIRA

Estado investiga contrato de R$ 6,2 milhões na Educação suspeito de fraude

TCE alertou que empresa emitiu certidões após contrato ser assinado


Da Redação

seduc.jpg

 

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc), juntamente com a corregedoria da Controladoria Geral do Estado, instaurou um Processo Administrativo de Responsabilização contra a empresa Ábaco Tecnologia da Informação. De acordo com a portaria conjunta, o procedimento irá investigar supostos atos lesivos praticados contra a administração pública num contrato de consultoria e assessoria especializada.

Segundo a portaria, as supostas irregularidades teriam ocorrido na execução do contrato 045/2013, no valor de R$ 6.249.360,00 milhões, celebrado entre a Seduc e a Ábaco. Uma publicação do Tribunal de Contas do Estado (TCE) de 11 de agosto de 2014 já alertava sobre a ocorrência de irregularidades na formalização do contrato.

O documento, assinado por Manoel da Conceição da Silva, subsecretário de controle externo da relatoria do conselheiro José Carlos Novelli, atualmente afastado, dizia que certidões foram emitidas após a formalização do contrato. Em 2013, a Secretaria de Estado de Educação era comandada pelo hoje deputado federal Ságuas Moraes (PT).

De acordo com a portaria, as supostas infrações cometidas pela empresa seriam “impedir, perturbar ou fraudar a realização de qualquer ato de procedimento licitatório público; fraudar licitação pública ou contrato dela decorrente; e obter vantagem ou benefício indevido, de modo fraudulento, de modificações ou prorrogações de contratos celebrados com a administração pública, sem autorização em lei, no ato convocatório da licitação pública ou nos respectivos instrumentos contratuais”. A portaria, assinada pelo atual secretário de Educação, Marco Aurélio Marrafon e pelo secretário Controlador Geral do Estado, Ciro Rodolpho Gonçalves, foi assinada no dia 25 de outubro, mas publicada apenas hoje no Diário Oficial do Estado.

O prazo de conclusão do PAR é de 180 dias, podendo ser renovado. A Ábaco Tecnologia tem ligações com atual presidente da Fiemt (Federação das Indústrias de Mato Grosso), Jandir Milan.

DELAÇÃO DE NADAF

O empresário foi citado pelo ex-secretário da Casa Civil, Pedro Nadaf, em delação premiada por uma doação ilegal ao ex-governador Silval (PMDB) na campanha de 2010. De acordo com Nadaf, Milan entregou um pacote com R$ 400 mil em dinheiro a Silval, durante encontro no apartamento do político, no Jardim das Américas, na Capital.

Milan nega a acusação do ex-secretário. Então coordenador financeiro da campanha do adversário de Silval, o ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB), o dirigente da Fiemt qualificou Nadaf de louco com a acusação.

 

Postar um novo comentário

Comentários (8)

  • Outra Verdade | Quinta-Feira, 07 de Dezembro de 2017, 13h04
    1
    0

    Só a Abaco faturou quase 400 MILHÕES nos últimos 8 anos em contratos com Estados, Jandir velho amigo de Waldir Teis, Noveli e de vários Sec de administração do Estado!

  • Outra Verdade | Quinta-Feira, 07 de Dezembro de 2017, 13h04
    2
    0

    Só a Abaco faturou quase 400 MILHÕES nos últimos 8 anos em contratos com Estados, Jandir velho amigo de Waldir Teis, Noveli e de vários Sec de administração do Estado!

  • R | Quinta-Feira, 07 de Dezembro de 2017, 11h38
    1
    0

    Ate hoje Milan mama e é protegido. Alguem faz algo? Nao, amigo do rei

  • ANA | Quinta-Feira, 07 de Dezembro de 2017, 11h16
    2
    0

    MAS SE ATÉ HOJE NÃO TEVE DECISÃO DO DESVIO DA OPERAÇÃO REMORA, POR ENQUANTO TODOS FELIZES COM DINHEIRO DO ESTADO. VIVA A CORRUPÇÃO!! E AGORA ME FALA QUE O ESTADO INVESTIGA??? AH !!! ATÉ PARECE.

  • Henrique Lopes | Quinta-Feira, 07 de Dezembro de 2017, 10h23
    1
    0

    Não vai dar em nada... só conversa fiada. O Jandir manda e desmanda nesse estado a anos. Isso aí é só pra inglês ver.

  • Mude para valer a pena a vida | Quinta-Feira, 07 de Dezembro de 2017, 08h33
    6
    0

    Olha, existem os Ex-Secretários os Ex-Conselheiros, que somente depois que são exonerados e/ou presos denunciam a si próprios para escapar de maiores punições. Mas, existem um pessoal que não são "ex-". Os funcionários público de carreira. Estes deveriam estar mais atentos e denunciar estes verdadeiros estragos/rombo de cofres públicos. Não troque a verdade por cargos ou melhorias de nível salarial. Vai estar se juntando aos erros e passando o problema para seus descendentes resolver de uma forma mais sacrificada. Tente ser correto denuncie de forma sistemática (com provas). Façam valer a pena ser um servidor público.

  • Coisa antiga que perdura | Quinta-Feira, 07 de Dezembro de 2017, 07h32
    4
    0

    Abaco sempre mamou e ainda mama nas tetas do governo. Só investigar tantos cargos que existem no estado não condizem com cargos de TI. Estão em várias secretarias. Aí tem.

  • Verdade | Quinta-Feira, 07 de Dezembro de 2017, 06h00
    6
    0

    Todos sabem que Milan não tem e nunca terá concorrência na Seduc todas as carteiras vendidas são da Milan móveis e essa Ábaco é uma vergonha o Milan é o que existe de mais podre entre os empresários que se enriquecem através do Estado é uma Vergonha.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS