28 de Julho de 2017,

Política

A | A

Segunda-Feira, 17 de Julho de 2017, 16h:43 | Atualizado:

SODOMA AO VIVO

Ex-chefe de gabinete confirma entrega de R$ 600 mil a Silval num envelope

No entanto, Sílvio diz não saber que R$ 100 mil haviam ficado com Pedro Elias


Da Redação

Alair Ribeiro/MidiaNews

silviocorrea.jpg

 

Após a oitiva do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), o próximo a depor para a juíza Selma Rosane Santos Arruda é o ex-chefe da gabinete, Sílio César Correa Araújo. Ele é réu nas segunda e terceira fases da "Operação Sodoma".

Sílvio foi denunciado pelo Ministério Público Estadual de ser um dos intermediários na propina paga de até R$ 450 mil por mês pela empresa Consignum. Em seu depoimento, Silval declarou que neste esquema Silval não tem nenhuma participação.

Tanto Silval como Silval decidiram colaborar com a Justiça com ressarcimento dos danos ao erário público. Hoje, eles respondem os processos em prisão domiciliar com uso de tornozeleira.

 

VEJA TUDO COM DETALHES

17H40 - Termina o depoimento de Silval

17H20 - Sílivio comenta que não ameaçou César Zílio nem Pedro Elias quando estavam detidos no Centro de Custódia de Cuiabá. Confirma que teve uma conversa com Pedro Nadaf após ver uma reportagem dizendo que o colega de primeiro escalão no Paiaguás estaria negociando colaboração premiada. "Eu comentei com o Nadaf que na cadeia há o comentário de quem delata tem que morrer. Mas nunca o ameaçei e foi uma coisa momentânea", frisa, ao considerar que não deseja mal a Pedro Nadaf. Sílvio diz estar arrependido pelo "comentário idiota"

17H14 - O ex-chefe confirma que o ex-secretário César Zílio levava dinheiro de propina para ser entregue a Silval no gabinete. No entanto, diz não saber se era entregue dentro do banheiro do palácio Paiaguás.

17H10 - Sílvio assegura que desconhecia o repasse de propina de Pedro Elias para Rodrigo Barbosa, filho de Silval, no contrato da Webtech. Teriam sido entregues R$ 380 mil.

17H04 - Sílvio assinala que o ex-presidente da Assembleia Legsilativa, José Geraldo Riva, ia bastante ao gabinete no palácio Paiaguás.  Diz saber que Riva queria "assumir" o contrato dos empréstimos consignados, mas não sabia os valores. "Fiquei sabendo nas conversas de gabinete que o governador tinha passado o processo dos consignados para Riva", salientou.

17H00 - Sílvio comenta que  acha que foi chamado a reunião entre Zílio e Miscchurs para dar a entender ao empresário que o ex-governador tinha ciência do esquema levando o chefe de gabinete no local à época. 

16H55 - O ex-chefe de gabinete relata que comentou o encontro com Mischurs e Zílio com Silval. Sílvio diz que recebeu uma quantia de R$ 600 mil de Pedro Elias e entregou o dinheiro num envelope a Silval.  Diz que não sabia Pedro Elias havia ficado com R$ 100 mil. 

16H52 - Sílvio comenta que ficou apenas cinco minutos na reunião em Zílio e Mischurs tratavam de propina. Comenta que um dia pegou dinheiro com o ex-secretário Pedro Elias e repassou ao ex-governador no gabinete. Diz não saber do esquema de gráficas na campanha de Wallace Guimarães (PMDB) em 2012 nem da compra de um terreno na avenida Beira Rio, em Cuiabá.

16H50 - Sílvio afirma que a denúncia do MPE em relação a ele é verdadeira. Diz que foi procurado pelo empresário Júlio Minori, da empresa Webtech, e também pelo ex-secretário Pedro Elias. "Os dois conversaram e não sei do que eles trataram", disse. Já em relação a empresa Consignum, ele conta que foi chamado para uma reunião na casa do ex-secretário César Zílio e chegando lá conheceu o empresário Willians Mischurs.

 

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Branco | Terça-Feira, 18 de Julho de 2017, 07h08
    0
    0

    REALMENTE AS NEGOCIATAS POLÍTICAS NUMCA TERMINAM TODO MUNDO ENCHENDO O BOLSO COMPRANDO CADEIRA NO TCE ETC....E O POVO.....MINHA GENTE!!! SÓ PRA VOTAR???

  • Celestina (sinhá de xango) | Terça-Feira, 18 de Julho de 2017, 02h52
    0
    0

    Juca meu marido quer comer furundum com Janaina Riva. A única que é santa .kkkkkkkkk

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS