19 de Setembro de 2017,

Política

A | A

Quarta-Feira, 13 de Setembro de 2017, 11h:34 | Atualizado:

TREM PANTANEIRO

MPE investiga se Consórcio está conservando vagões e trilhos do VLT

Existe a preocupação dos materiais estarem expostos ao sol e a chuva no Centro de Comando e Controle


Da Redação

vlt-parado3.jpg

 

O Ministério Público Estadual instaurou um inquérito civil para investigar se as empresas do Consórcio VLT (Santa Bárbara, CAF Brasil Industria e Comércio, CR Almeida, Astep Engenharia Ltda e Magna Engenharia Ltda) estão cumprindo a determinação da justiça de guarda e manutenção dos vagões do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT). A portaria foi publicada nesta terça-feira (12) pelo promotor de justiça Henrique Schneider Neto, da 26ª Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa.

“Instaurar inquérito civil público, para verificar o cumprimento da medida judicial determinada nos autos da ação civil pública n° 03668-53.2015.4.01.3600 – Juízo da Primeira Vara Federal da Seção Judiciária de Mato Grosso, onde determina a guarda e manutenção do material rodante do VLT pelo Consórcio VLT Cuiabá-Várzea Grande”, diz trecho da portaria.

A determinação para que o material rodante do VLT fosse mantido com manutenção e em perfeito estado de uso foi do juiz federal Ciro José de Andrade Arapiraca, da 1ª Vara Federal de Mato Grosso. Existe a preocupação dos materiais estarem expostos ao sol e a chuva no Centro de Comando e Controle, na região do Aeroporto Marechal Rondon.

O contrato entre o Consórcio VLT e o Estado teve prorrogada a suspensão no último dia 8 de setembro por determinação da Justiça Federal. O contrato segue suspenso  após pedido do governador Pedro Taques (PSDB).

O Governo “recuou” de uma tentativa de acordo com o Consórcio VLT em decorrência da Operação Descarrilho, deflagrada pela Polícia Federal. A operação apura pagamentos de propina a agentes do estado nos anos de 2012 e 2014.

O magistrado manteve desbloqueados os bens avaliados em R$ 497,99 milhões das empresas que compõem o consórcio. Até o momento, o governo do Estado já recebeu R$ 1,066 bilhão do orçamento de R$ 1,477 bilhão orçado na obra.

 

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Regina | Quarta-Feira, 13 de Setembro de 2017, 15h28
    0
    0

    Com tantas cobranças de propina o poder público acabou com o VLT.

  • Analista Político | Quarta-Feira, 13 de Setembro de 2017, 11h53
    2
    0

    Ah mas tá, tá demais. Aquilo lá se vende por peso agora, como sucata velha. Deixa seu carro parado, pegando sol e chuva, durante 4 anos para ver o que acontece.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS