28 de Julho de 2017,

Política

A | A

Domingo, 16 de Julho de 2017, 11h:40 | Atualizado:

CURIOSIDADES NOS GRAMPOS

Todos investigados passaram pelo Gaeco, diz Perri


Gazeta Digital

orlandoperri.jpg

 

O desembargador Orlando Perri, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), chamou a atenção para o fato de que todos os policiais militares envolvidos na investigação que apura a existência de interceptações telefônicas ilegais ocorridas no Estado e que tem sido chamada de “grampolândia pantaneira” já atuaram no Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco).

O apontamento foi feito durante sessão plenária do TJ, na última quinta-feira (13), em que se analisava o pedido de arquivamento da investigação conduzida por Perri por parte do procurador-geral de Justiça Mauro Curvo, que acabou sendo negado por unanimidade.

“Por falar em Gaeco, chama a atenção o fato de que todos os policiais militares implicados nessa grampolândia estavam ou passaram pelo Gaeco. Os fatos são estarrecedores!”, disse Perri.

O desembargador é responsável por decretar as prisões do coronel Evandro Ferraz Lesco, secretário-chefe da Casa Militar afastado, do sargento Euclides Luiz Torezan, cedido ao Grupo de Atuação e Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do coronel Ronelson Jorge de Barros (secretário-adjunto na Casa Militar afastado) e do coronel Januário Antônio Edwiges Batista, ex-comandante do 4º Batalhão, em Várzea Grande.

Segundo ele, a sociedade mato-grossense tem o direito de saber quem foram as vítimas e quem são os “verdadeiros responsáveis” pelo que ele classificou como “graves atentados a intimidade do cidadão”.

O desembargador também ressaltou que caso as investigações por ele jurisdicionadas fossem arquivadas, todos os demais processos relacionados ao caso dos grampos ilegais também teriam quer ser novamente distribuídos e começar do zero.

“Todos os demais procedimentos a mim distribuídos ou avocados vieram por conexão. Se derrubarem esta notícia-crime vai ter que se fazer a distribuição de todos os demais procedimentos que estão sob minha relatoria. Existem sim conseqüências de ordem prática! E profundas conseqüências!”, afirmou.

Postar um novo comentário

Comentários (7)

  • Katarina | Segunda-Feira, 17 de Julho de 2017, 17h37
    0
    0

    PAULO, TEM GENTE INOCENTE PRESA SIM!!!!!!!

  • Daniel | Segunda-Feira, 17 de Julho de 2017, 08h05
    2
    1

    O caminho da retidão é sereno e firme. Açodamentos e ilações prévias de culpabilidade não fazem parte da postura de imparcialidade, especialmente quando a premissa não é verdadeira (todos?!). Necessário calma e respeito ao Estado Democrático de Direito e às Instituições, pois se está justificando os meios pelo suposto fim - a investigação presidida pelo Poder Judiciário é vedada na Constituição, assim como a antecipação do julgamento e excesso de exposição do Magistrado antes mesmo de uma denúncia. Espero sinceramente que o Ministro Gilmar Mendes não tenha contaminado outros Magistrados a agirem da mesma forma.

  • PAULO | Segunda-Feira, 17 de Julho de 2017, 03h32
    9
    1

    NÃO TEM NINGUEM INOCENTE PRESO GONÇALO.

  • Josemar pinheiro | Domingo, 16 de Julho de 2017, 22h13
    14
    2

    Só perri pode dar uma resposta para o povo matogrossense nos não podemos deixar na mão do gaeco porque o gaeco fala a lingua do governador Pedro Taques

  • Gonçalo | Domingo, 16 de Julho de 2017, 22h02
    4
    13

    É muito injusto ver gente inocente presa.

  • ivo | Domingo, 16 de Julho de 2017, 17h19
    16
    5

    Só Perri vai poder nos dar a tranquilidade de que temos alguém justo nessa justiça comprada que temos hoje em dia em Mato Grosso.

  • Almeida Cruz | Domingo, 16 de Julho de 2017, 15h55
    20
    4

    Ele Ja pegou o fio da meada ; gaeco e taques porcaria !

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS